Terça-feira, 7 de Junho de 2005

Por caminhos Minhotos





  Para trás ficara a Festa das Cruzes. Marius iria continuar a sua viagem rumo ao sul. Fim de tarde. As últimas réstias de luz iluminavam-lhe o caminho.





 A luabrilhava no céu estrelado. Quem sabe se não iria ver a princesa moura a vaguear pelos montes, aqui marius sorri, as lendas têm sempre um fundo de verdade, a imaginação popular faz o resto.

  Passa por Faria, terra bem conhecida pelo feito do seu alcaide-mor D. Nuno Gonçalves que tendo sido feito refém por Castela, que tinha invadido Portugal porque o nosso rei D. Fernando se apaixonara por Leonor Teles quando estava para desposar a filha do rei de Castela quebrando o compromisso que tinha assumido.

 Com receio que o filho, D. Gonçalo, entregasse a fortaleza de Faria, pediu aos castelhanos que o levasse até aos muros do castelo para convencer o filho a entregar a fortaleza sem resistência. Ali chegado D. Nuno exortou-o a defender o Castelo a custo da própria vida amaldiçoando-o caso assim não fizesse. Os castelhanos traídos, mataram o velho alcaide mas tendo sido a luta renhida para os portugueses certo é que os inimigos acabaram por desistir.

  D. Fernando premiou o gesto valoroso de D. Gonçalo mas este abandonou o cargo de alcaide e tornou-se sacerdote. Eram de outra gesta estes portugueses.

  Hoje do Castelo só resta a lembrança pois grande parte das suas pedras, propositadamente arrancadas, servira à construção do modesto convento da Franqueira, erguido ali perto, no sopé do monte.

  Laranjais eram uma constante. Aqui e ali, espigas de milho recortavam-se na noite. O silêncio era de vez em quando, cortado pelo coaxar das rãs que nos pequenos lagos, tentavam captar a atenção das fêmeas para uma nova geração de girinos.

  Passa pela Ponte do Bico, na freguesia de Palmeira, na confluência entre-os-rios Homem e Cavado, onde é costume juntar-se enorme multidão transformando-a numa aprazível praia fluvial. Povoado muito antigo, foi escolhido pelo arcebispo D. José de Bragança para a edificação de um palácio no lugar de Gasparinhos, junto ao rio.

 Estava a chegar a Braga – a Bracara Augusta onde os romanos a tinham transformado num grande empório comercial e numa das cidades mais importantes da época.

publicado por marius70 às 04:52
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Torres Novas

. O Castelo de Almourol

. Tancos e o Tejo

. Tomar - A cidade dos Temp...

. Penela

.arquivos

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

SAPO Blogs

.subscrever feeds