Segunda-feira, 2 de Abril de 2007

Lendas, Amendoeiras e Castelos



  O sol vai aquecendo lentamente o dia. O frio ainda aperta mas pelos campos, pequenas flores; Malmequeres, Dentes-de-Leão vão fazendo a sua aparição. A passarada prepara o ninho para a prole que vem a caminho. As andorinhas, apanhadas de surpresa pelo frio, ainda não surgiram pois marius não as vê nos beirais das casas. É a Primavera que timidamente vai chegando.

  Em Sendim da Serra uma pastora tinha o costume de fazer um altar, enquanto o rebanho pastava na serra, colocando uma estampa de uma senhora e ornamentando com flores silvestres que apanhava no campo. Intrigava-lhe o facto de ali haver tais flores e, então, apareceu-lhe uma linda senhora que lhe explicou a razão.

  A pastora contou à mãe o sucedido e esta não acreditando mandou a filha para outro local. A pastorinha voltou a fazer o altar no novo local e a senhora voltou-lhe a aparecer pedindo que lhe fosse edificada uma Igreja. O povo ao saber de tal pedido acompanhou a pastora levando duas velas na mão para acender quando a senhora surgisse. Velas acesas e o povo sem nada ver. De repente levanta uma violenta tempestade de ventania e pó, as velas permanecem acesas e as chamas ficam firmes e hirtas como uma barra de ferro. Aí o povo acreditou e mandou erigir uma capela mas não no local onde a pastora queria. Pareciam as obras de S. Engrácia, faziam durante o dia e à noite tudo ruía. Lá resolveram fazer a vontade à pastorinha e construíram o templo no local desejado. Certo é que as obras andaram mais depressa que o previsto (era bom que fosse sempre assim) e bem depressa a Igreja dedicada a Nossa Senhora de Jerusalém ficou concluída, e tudo porque um dia desceu à terra para explicar que as flores podem nascer sem serem semeadas.

  Estas lendas, com algumas variantes, aparecem muito por este país à beira-mar plantado e quase sempre são pastorinhos os que têm o ensejo de serem escolhidos pelos poderes divinos.


Alfandega da Fé  Vai Marius a caminho de Alfândega (agora talvez leve mais um L e passe a ser Allfandega) da Fé. De fundação árabe, Alfandagh levou o Fé de alguns cavaleiros de esporas douradas que ajudaram os habitantes de Chacim e Castro Vicente a libertá-los da tutela e imposto desonroso do rei mouro que ali governava, que mais não era que entregar a este rei as donzelas da região (já contei esta lenda no tema «Pelo Rio Tua»). É o que faz meterem-se os mouros com este povo abençoado, portam-se mal levam com as contas do rosário.

  Sem monumentos dignos de visita, há que ir até á serra de Bornes e ver as gravuras rupestres dos tempos pré-históricos da Quinta da Ridevives.
Há que aproveitar esta época para ver as amendoeiras em flor ou ir até à Ermida de Nossa Senhora dos Anúncios e dali avistar um cenário fascinante desde o vale às montanhas circundantes.

  Se estiver na hora da janta nada melhor que aproveitar a excelente comida regional com as típicas greladas nos lagares de azeite. Um bacalhauzinho assado, uns grelinhos tenrinhos, batatinhas assadas, tudo molhado no azeite novo e regado com o bom vinho não há repasto melhor. Ter atenção que deve beber com moderação e se não fizer não se meta à estrada e durma um sono descansado. É que já é moda andar em contramão e não seja mais um que devido aos efeitos etílicos não veja a tal sinalização e coloque a sua e outras vidas em risco.

  Em Sambade veja a bonita Igreja Matriz setecentista, de frontaria joanina e os fornos tradicionais. Aproveitaram os de Sambade, o desenvolvimento que lhes trouxeram as antigas indústrias de lã e do bicho-da-seda e dela fizeram pólo de desenvolvimento rural.

  Marius vai a seguir até Mogadouro. Irá ver da Barragem da Estevinha as ruínas da torre de menagem do Castelo de Mogadouro de quem eram alcaides-mores, os Távores fidagais inimigos do Marquês de Pombal.

 

Mogadouro - Castelo




publicado por marius70 às 04:19
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Anónimo a 19 de Agosto de 2008 às 04:28
Eu sou Moura... faz mto mal? :-) Enviado por Moura ao Luar em abril 3, 2007 10:05 AM

Votos sinceros de Páscoa Feliz. Abraço. Enviado por Filipe Freitas - Praia da Claridade em abril 7, 2007 11:34 PM

Boa noite Mario. Espero que te encontres bem. Cá estou a ver mais um tema teu, muito bem feito. Os meus parabéns. Já consegues fazer mini-vídeos? Estou à espera para ver, (falta de tempo)!!!! Um bom fim-de-semana. Um abraço. amil Enviado por amil em abril 14, 2007 08:44 PM

Sim senhor! Trabalho que merece todo o meu respeito! E quando chega a vez das Beiras, berço de meus pais? Fico a aguardar, prometendo vir espreitar de vez em quando! Letinha Enviado por Letinha em abril 24, 2007 06:06 PM


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Torres Novas

. O Castelo de Almourol

. Tancos e o Tejo

. Tomar - A cidade dos Temp...

. Penela

.arquivos

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

SAPO Blogs

.subscrever feeds